Bate-papo virtual é traição?

Verdade seja dita, com a internet, todo mundo passou a ter um bar “para solteiros”, que nunca fecha, disponível no bolso. Se antes, era necessário mentir uma ida ao cabeleireiro/barbeiro para ter encontros secretos, hoje pode-se “encontrar” uma amante deitado na cama, ao lado da parceira oficial. Fica, então, a dúvida: o que é privacidade e o que é fidelidade neste mundo virtual?


“Você teve relações sexuais com outra pessoa, sem o consentimento da sua parceira, nos últimos doze meses?”


Infelizmente, definir se o que aconteceu foi ou não traição não é tão simples quanto responder SIM ou NÃO à pergunta acima, mas, existem algumas premissas que podem nos orientar na compreensão do caso.



Bate-papo virtual é traição?

Faz-se necessário antes, entender que nenhum caso de infidelidade é igual ao outro e, por isso, é impossível comparar situações e desfechos. Outro aviso inicial relevante é que estas premissas não são verdades absolutas e, sim, flexíveis.



Na verdade, as definições básicas de um relacionamento são determinadas pelas partes envolvidas nele. É o casal que deve definir o que é e o que não é na relação.





O problema é que estes limites, invariavelmente, não são combinados antes e apenas quando uma situação inesperada se apresenta é que percebe-se que o que era válido para um, não é para o outro, e frases como “não fiz nada de errado” ou “não tem nada a ver com o que você está pensando” jogam mais lenha na fogueira da descoberta da traição.

Primariamente, vamos delimitar que a infidelidade é composta por 3 elementos básicos. A ordem, quantidade, intensidade e acréscimos poderá variar, mas, se estamos falando de traição, iremos encontrar:


  • Clandestinidade: obviamente, se é uma relação escondida, partimos do princípio que se trata de uma traição. Se há um desconforto em contar para a parceira o bate-papo que você teve com a ex, estamos falando de algo que você já pressupõe que ela não irá aceitar. Logo, não houve negociação ou determinação sobre o fato. Logo, o outro poderá encarar como traição. Eu defendo a privacidade e a individualidade como chaves-mestras para a manutenção do desejo num relacionamento de longa data, por isso, a priori, não vejo este exemplo corriqueiro como infidelidade, se não houve nada além de uma conversa entre amigos. Se for o caso, talvez seja interessante repensar o que representa a confiança no relacionamento de vocês, para que você não aja na clandestinidade por ocasião, que é diferente da clandestinidade com intenção (quando se escolhe ter um lance extraconjugal).


  • Química sexual: Ok. É só um bate-papo entre amigos. O parceiro até sabe. Mas, no fundo, no fundo, há um erotismo pairando no ar. Pode ser também que seja apenas uma espiada por curtição no Tinder e que você jamais marcaria um encontro, só que há uma faísca erótica nos match’s. Se há atração erótica, se desperta seu desejo e a faz sentir “mais viva”, pode até não ser clandestino e ser uma espécie de fetiche ou fantasia, mas isso deve estar claro nas regras do casal, caso contrário, é traição. Sei que a realidade de algo assim ser acordado entre os parceiros e não interferir negativamente na relação pode parecer impossível. Na verdade, não é. Mas, é algo conquistado com o autoconhecimento de si e muito respeito pelo outro. E, sim, é possível.


  • Envolvimento sentimental: Um fato muito comum e pouco explorado quando se fala de traição, principalmente, virtual, é a dependência emocional. As amizades virtuais que se tornam constantes, mesmo que não aja química sexual, podendo ou não ser clandestinas, devem acender um sinal de alerta para a relação. Não estou dizendo que o parceiro deva ser o seu melhor amigo, já que, casamento não se define como amizade e ter um relacionamento não exclui ter amigos. Mas, aquelas “amizades” que funcionam como estepe, que tem em seu teor o elogio e a cumplicidade que o parceiro não demonstra e geram ansiedade emocional maior do que a do seu relacionamento amoroso, podem sim, ser enquadradas como traição, independente de ser algo apenas virtual.



A realidade é que a definição de traição irá depender do arranjo acordado entre os parceiros e é esta situação que fará valer a máxima “as regras são claras”. As regras não são fixas e válidas para todos os casais, mas devem ser determinadas por cada um deles. Não pode ficar subentendido. Aqui é que mora o perigo. Não espere a chuva para consertar seu telhado! Se você quer um relacionamento duradouro, já apare as arestas da sua casa antes do tempo virar, ou melhor, antes da próxima notificação de mensagem do whatsapp chegar.


Passando por uma situação semelhante no relacionamento? Precisa de ajuda? Agende uma consulta online: 11 95650.4345

376 visualizações

Siga Sexualidado do Casal:

  • sexualidadedocasal
  • Facebook ícone social
  • Instagram

©2019 por Sexualidado do Casal | Psicoterapeuta Bruna Soarez | Brasil